Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Aposentados

CONGRESSO NACIONAL RELANÇA FRENTE EM DEFESA DO APOSENTADO E DO PENSIONISTA

O Congresso Nacional relançou ontem (5/5), na nova legislatura, a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Aposentados e dos Pensionistas do Brasil. O colegiado, presidido pelo deputado Cleber Verde (PRB-MA), conta com 280 deputados e 40 senadores.

“Estamos reeditando a frente com a intenção de arregimentar mais parlamentares que possam estar conosco nessa luta”, avisou Verde. Ele defendeu a aprovação de propostas como a PEC 555/2006 (fim da cobrança previdenciária de aposentados e de pensionistas), o Projeto de Lei 4434/2008 (correção do valor das aposentadorias do INSS) e o fim do fator previdenciário. O deputado ainda lembrou que, em recente comissão geral no Plenário da Câmara sobre a Previdência Social, o ministro Carlos Eduardo Gabas confirmou os estudos da ANFIP e assegurou que a Previdência Social é superavitária.

O vice-presidente de Assuntos Parlamentares da Anfip, Floriano Martins de Sá Neto, reforçou a importância da Previdência. “A Previdência Social é a maior redistribuidora de renda do País. Não existe programa social que faça o que a Previdência Social faz. Só quem vive nos rincões sabe efetivamente. O dia que a Previdência paga é o dia que o comércio funciona, é o dia em que há vida nestas comunidades”, disse.

O presidente da Cobap, Warley Gonçalles, elogiou a recriação da frente parlamentar e disse esperar resultados efetivos: “Que essa frente vá para frente, que não pare por aqui”. Segundo Gonçalles, entidades como a Cobap e a ANFIP há anos defendem os aposentados e a Previdência Social pública.

Por fim, o deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE) criticou a absurda taxação previdenciária dos aposentados. “Eu estou há quase 20 anos contribuindo (como aposentado). Eu quero saber se quando eu completar 35 anos de contribuição novamente eu vou me aposentar. Eu vou fazer uma confusão para me aposentar de novo”, disse, em tom de brincadeira, para defender a PEC 555. (com informações da Anfip)

Compartilhe