Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
destaque home

Em palestra promovida pelo Sindjustiça-RJ, servidores tiram dúvidas sobre aposentadoria

No dia 30 de abril, os serventuários tiveram a oportunidade de dialogar, tirar dúvidas e refletir sobre como funciona a aposentadoria dentro do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS).

Durante a palestra Aposentadoria do servidor público: das emendas ao Regime Complementar, promovida pelo Sindjustiça-RJ, a categoria teve oportunidade de aprofundar seus conhecimentos em algumas particularidades das regras, como a isenção do Imposto de Renda, o direito à aposentadoria especial, integralidade, paridade e até mesmo o procedimento para a solicitação do benefício.

A atividade contou com a presença do técnico judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) Luciano de Moura, que é processador de cálculos previdenciários na Divisão de Pagamento Pessoal (DIPAG) e instrutor do curso Aposentadoria e suas regras na Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

Com a experiência de seu dia a dia de trabalho, Luciano conversou com os servidores sobre as principais dúvidas de quem está perto de se aposentar pelo RPPS. Os participantes também discutiram os impactos da Reforma da Previdência — caso o projeto do Governo Federal seja aprovado — e comentaram outras soluções mais efetivas e menos destrutivas para o sistema previdenciário, como a cobrança de dívida ativa dos municípios e estados.

“A aposentadoria é uma preocupação constante do servidor que já tem algum tempo de estrada, principalmente agora, com uma proposta de Reforma confusa e que irá trazer muita insegurança para os beneficiários. O sindicato está dando uma atenção especial para esse assunto e irá promover cada vez mais rodas de conversa e palestras sobre o tema”, salientou a diretora de aposentados e pensionistas do Sindjustiça-RJ, Suzana Barbosa de Souza.

A palestra está disponível na íntegra no canal do Sindjustiça-RJ no YouTube. Clique aqui para conferir.

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe