Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
destaque home

Fosperj costura importantes acordos com a Alerj para proteger os servidores

Em encontro por videoconferência realizado na terça-feira (7), o Fórum Permanente de Servidores Públicos do Estado do Rio de Janeiro (Fosperj) conseguiu costurar importantes acordos com o Legislativo estadual. O resultado da reunião foi uma importante demonstração de força do fórum como entidade de defesa conjunta dos servidores públicos ativos e aposentados do RJ.

Entre os representantes do Fosperj, esteve o diretor do Sindjustiça-RJ (entidade presente de forma ativa no Fórum) José Carlos de Arruda, um dos responsáveis pela articulação do encontro. A Alerj foi representada por seu presidente, o deputado André Ceciliano (PT), e os deputados Flávio Serafini (PSOL), membro da Comissão de Servidores, e Luiz Paulo (PSDB), membro da Comissão de Constituição e Justiça.

Entre os pontos firmados, Ceciliano se comprometeu a não colocar em pauta para votação qualquer assunto que possa ser prejudicial aos servidores públicos, enquanto durar o estado de alerta por causa da pandemia.

Atividades presenciais

O Fosperj colocou em pauta os protocolos de retorno de diversas categorias ao trabalho presencial, ressaltando que, no momento, não há nada que justifique a flexibilização do isolamento social.

Foi cogitada a formação de uma comissão formada por deputados das comissões de Servidores Públicos, Saúde e Ciência e Tecnologia, para contribuir na interlocução com os órgãos públicos.

Consignados

O Fosperj pediu a Ceciliano que usasse a sua liderança e a interferência do Legislativo para a regulamentação da lei (já aprovada) para implementar a suspensão da cobrança de parcelas de empréstimos consignados. Foi levantada a hipótese também de buscar convênios com as instituições financeiras, a exemplo do que foi feito na Câmara Municipal do Rio. Ceciliano afirmou estar tratando do assunto com o vice-governador Cláudio Castro (PSC) e que deverá ter o retorno em breve.

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe