Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

GASTOS QUE NÃO ENTRAM NO ORÇAMENTO REPRESENTAM ATÉ 26% DA DESPESA SEMANAL DOS BRASILEIROS

Aqueles gastos com o cinema, a feira, a padaria, a cerveja, o estacionamento e o cafezinho — e que nunca lembramos de contabilizar — podem comprometer o orçamento da casa no fim do mês. Uma pesquisa divulgada pela operadora de cartões Visa apontou que esse tipo de despesa representa até 26% dos gastos do brasileiro durante a semana.

De acordo com a pesquisa, em média, os brasileiros gastam R$ 40,25 (US$ 23) por semana com despesas das quais não se recordam depois, ou R$ 2,1 mil por ano (US$ 1,2 mil). Dinheiro gasto, principalmente, com alimentação, lazer, entretenimento, compra de salgadinhos e jantar fora de casa.

Segundo o economista e professor José Dutra Vieira Sobrinho, é importante que o consumidor tente planejar e controlar esses gastos. De acordo com ele, não existe um “número mágico” de quanto possa ser gasto, por exemplo, com supérfluos. Por isso é preciso disciplina. “O que recomendo é que as pessoas tenham uma ideia do orçamento e de quanto gastam para que possam ter condições até de poupar um pouco”, afirmou.

Uma dica dada pelo professor é que a pessoa tente anotar durante três meses, começando sempre pelo primeiro dia do mês, todas as despesas que fizer no período. “A grande surpresa ficará por conta das pequenas despesas que, somadas, darão um valor significativo”. Segundo Sobrinho, isso dará ao consumidor uma noção de quanto gasta por mês e indicará as despesas que poderão ser cortadas para não comprometer o orçamento familiar. (com informações da Agência Brasil)

Compartilhe