Skip to content

Governo vai tentar no Senado congelamento de salários dos servidores

Após a aprovação, na Câmara dos Deputados, sem os trechos que congelavam os salários dos servidores públicos por dois anos, o Projeto de Lei Complementar 149/2019, chamado de Plano Mansueto, entrará em discussão no Senado.

No entanto o presidente da casa, o senador David Alcolumbre (DEM-AP), declarou que pretende atender ao pedido do governo Bolsonaro e colocar na proposta o congelamento salarial por até 18 meses. A medida valeria para servidores municipais, estaduais e federais.

Alcolumbre se reuniu com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e deve se encontrar com mais membros do Governo Federal para costurar uma proposta. A ideia é aprovar o texto em sessão virtual no sábado (2 de maio). Ainda não há uma nova proposta formalizada, mas é provável que o próprio Alcolumbre seja o relator. Fato estranho é que não é comum a realização de sessão durante o final de semana.

Caso seja aprovada esta versão, o projeto volta para a Câmara analisar e decidir se mantém o projeto já aprovado pela casa ou se aceita a versão substitutiva do Senado. Para isso, o senador está articulando com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Essas manobras provam que, quando se trata de projetos para prejudicar os servidores, todos eles estão dispostos a abrir mão de suas disputas pessoais.

O conteúdo aprovado na Câmara do Deputados, sem as medidas danosas aos servidores, prevê ajuda federal aos estados e municípios para repor as perdas projetadas com impostos por consequência da queda de atividade econômica provocada pela pandemia da Covid-19, tendo como base o orçamento de 2019. Esse recurso permitiria o desenvolvimento de medidas de combate ao Coronavírus e evitaria o calote dos governos aos servidores.

O Governo Federal quer que as medidas de ajuda sejam condicionadas à adoção de medidas drásticas que prejudicam os servidores. A prioridade do governo é forçar o congelamento salarial. “O funcionalismo público (…) não vai ficar em casa trancado com geladeira cheia”, afirmou o ministro da Fazenda, Paulo Guedes.

Caso a proposta do Governo Federal prospere, será um ataque covarde contra aqueles que estão na linha de frente no combate à pandemia em todos os níveis. Impedir o reajuste e cortar direitos dos servidores terá um impacto pequeno na arrecadação de recursos para enfrentamento ao Coronavírus e ainda prejudicará a recuperação econômica que precisará ser feita em seguida.

É importante lembrar que o governo anunciou que irá destinar R$ 1,2 trilhão para ajudar os bancos durante pandemia do Coronavírus. Ou seja, o discurso sobre a necessidade de recursos é apenas uma distração. O intuito é enfraquecer os serviços públicos e retirar direitos dos servidores de todas as esferas enquanto destina volumosos recursos para o sistema financeiro.

Impactos sobre os serventuários do RJ

No Rio de Janeiro, a situação é uma das mais graves do país, pois os servidores estaduais estão sem reposição salarial desde 2014. O Sindjustiça-RJ, como integrante do Fórum Permanente dos Servidores Públicos do Rio de Janeiro (Fosperj), participa do processo que luta pela recomposição da perda salariais inflacionárias. A defasagem salarial se aproxima dos 40%.

O Fosperj requisitou recentemente que, assim que se encerre a crise da pandemia, possa negociar com o governador Wilson Witzel (PSC). Caso o Senado aprove as alterações propostas no Plano Mansueto do governo Bolsonaro, esta luta será gravemente afetada.

Neste momento, a pressão virtual sobre os senadores será muito importante. Todos pode enviar mensagens para os parlamentares, dizendo que em vez de prejudicar os servidores públicos, o Brasil deveria valorizar aqueles que estão à frente do combate à pandemia. É inaceitável que alguns setores tentem se aproveitar desse momento para prejudicar quem está arriscando a própria vida para que os brasileiros consigam passar por esse momento tão difícil. A relação de senadores está neste link: https://www25.senado.leg.br/web/senadores/

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

NOTA DE PESAR

Comunicamos, com enorme tristeza, o falecimento da colega Priscilla Braga, ocorrido na manhã desta quinta, por complicações da Covid. Priscila estava lotada no Fórum da

VENDA DA LICENÇA TERMINA HOJE, 21

Termina hoje, 21 de maio, o prazo para venda da licença-prêmio! Por favor, compartilhem a informação e avisem aos colegas da serventia que estejam de

X