Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Pezão diz que Rio de Janeiro está ficando ingovernável

Governador afirma que pediu trégua ao presidente Temer

RIO – O governador Luiz Fernando Pezão afirmou, em entrevista à CBN na manhã desta sexta-feira, que pediu ao presidente Michel Temer e à secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, um período de trégua. Reportagem publicada nesta sexta-feira no GLOBO informa que Pezão ameaçou Ana Paula de pedir oficialmente uma intervenção federal no estado. A iniciativa foi tomada após o governador tomar conhecimento de um novo bloqueio de R$ 140 milhões da União nas contas do estado. A resposta foi dada quando Pezão foi perguntado sobre o pedido de intervenção federal. O governador afirmou ainda que o “Rio de Janeiro está ficando ingovernável”.
– Conversei com o Temer e com a secretário do Tesouro Nacional e pedi que tivéssemos um período de trégua do Tesouro. Se tinha que cortar 100%, que cortasse 60%, 70%, para respirarmos e fazermos a travessia nesse momento de queda na arrecadação – disse Pezão à CBN. A trégua a que o governador se referiu é o pedido de intervenção.
O governador diz não querer receber recursos extraordinários, pois o problema do estado é estruturante, ao defender o pacote de cortes e a reforma na Previdência.
O governo do Rio de Janeiro, segundo Pezão, está há um ano e meio querendo securitizar dívida ativa e os royalties do petróleo.
– O Tesouro acha que impacta no primário, mas tenho pareceres dos maiores economistas de que não impacta. E ficamos numa discussão interminável.
Ele prosseguiu:
– O remédio que está na Lei de Responsabilidade Fiscal é que posso reduzir jornada de trabalho e salário, e isso não vai resolver meu problema. Estamos com aumento de 19% na matrícula e 28% no atendimento no posto de saúde, como vou demitir funcionário? – indaga.
O recuo na proposta de aumento da alíquota do desconto previdenciário para 30% foi minimizado pelo governador. De acordo com ele, está sendo estudado um pacote de cortes a taxações de R$ 4 bilhões que compensariam em parte a economia de R$ 7 bilhões com a proposta.

FONTE: http://oglobo.globo.com/rio/pezao-diz-que-rio-de-janeiro-esta-ficando-ingovernavel-20451729

Compartilhe