Skip to content

Saúde no trabalho é tema de palestra na manhã do segundo dia do 6º Congresso do Sindjustiça-RJ

O segundo dia do 6º Congresso do Sindjustiça-RJ, que acontece em Petrópolis, no Rio de Janeiro, teve como tema na parte da manhã “Saúde e condições de trabalho”.

A professora Elisete Soares Traesel, da Universidade Federal Fluminense (UFF), deu a tônica da palestra focando no perigo da naturalização do excesso e intensificação do trabalho. Para ela, “a lógica ‘time is money’ passou a ser internalizada em nós. Agora tudo que fazemos, desde o banho de manhã, está nesta lógica. E não nos permitimos sair disso”.

As consequências da cobrança excessiva por parte dos próprios trabalhadores podem ser graves. Pesquisa desenvolvida pela professora com o setor Judiciário concluiu que 66% tem algum tipo de doença relacionada ao trabalho. Síndrome de Burnout (esgotamento físico e emocional), estresse e ansiedade estão entre elas. “Aquele que pede socorro está bem mais próximo da saúde do que o homem ou a mulher de ferro”, ressaltou Elisete .

Além disso, salientou a importância da prática coletivista e solidária no trabalho e entre os trabalhadores. “É preciso pensar novos modelos de trabalho que ultrapassem a lógica produtivista do toyotismo. Não podemos nos acostumar com este modelo.” Uma das estratégias para o fortalecimento da saúde mental para ela é o reconhecimento. “Você está reconhecendo seu esforço ou está mais se cobrando?”, questionou ao final.

Na parte da tarde, os serventuários poderão assistir a palestra “Gestão produtivista e novas tecnologias: impactos na qualidade de vida do servidor do Judiciário”, de Mara Rejane Weber, ex-coordenadora de Imprensa e Comunicação da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União (Fenajufe).

Também poderão entender mais sobre organização sindical, tema do painel 3. Guilherme Mikami, cientista político, jornalista e diretor da agência Abridor de Latas Comunicação Sindical, falará sobre “A comunicação como ferramenta da defesa de direitos”; e Ednaldo Martins, coordenador de Política Sindical da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados (Fenajud), e Dionizio Janio Barbosa de Souza, coordenador da Secretaria-Geral da Fenajud, falarão sobre os desafios para a organização dos trabalhadores do Judiciário estadual.

 

Ontem

Na abertura do 6º Congresso, na sexta-feira, o professor Jessé Souza fez uma reflexão, cuja abordagem foi voltar à escravidão para entender o assunto da defasagem do trabalhador. Os participantes tiveram a oportunidade de apresentar questões ao palestrante, e a avaliação da palestra foi bastante positiva entre os serventuários.

A programação completa está disponível no site do Sindjustiça-RJ. E quem não está em Petrópolis pode acompanhar todas as palestras via Facebook na página do Sindjustiça-RJ.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

DIA DO ADVOGADO – 11/AGO

Não basta ter conhecimento jurídico, ser competente, pontual ou ter boa oratória… sempre haverá pedras no caminho, que fariam pessoas comuns desistirem ou repensarem as

NOTA DE PESAR

Infelizmente, faleceu hoje o nosso querido funcionário Marco Paulo Feitosa, que atuava no setor de arquivo do Sind-Justiça. Era um dos funcionários mais antigos do

X