Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

SERVIDORES DO IASERJ DECIDEM RESISTIR À DESATIVAÇÃO DO HOSPITAL

Em assembléia na última sexta-feira (26/11), os servidores do Hospital do Iaserj decidiram resistir à desativação da unidade, anunciada para acontecer daqui a menos de 30 dias pelo governador Cabral Filho. “Não vamos permitir que destruam o Iaserj, o que seria um crime contra os servidores os verdadeiros proprietários do Hospital e contra a população assistida, ainda mais neste momento de crise de segurança com pessoas feridas gravemente precisando de atendimento”, afirmou a presidente da Associação de Funcionários do Iaserj (Afiaserj), Mariléa Ormond.

Este seria o terceiro hospital desativado pelo governo Cabral. O primeiro foi o São Sebastião, no Caju, e, recentemente, o Pedro II, que sob a alegação da explosão de um gerador, teve toda a sua estrutura interna desativada e colocada em obras e será repassado para uma Organização Social contratada pela prefeitura do Rio.

“A crise nos hospitais do estado vem sendo aprofundada há anos pelo governo, com consequências dramáticas para a população. E será ainda mais agravada com a desativação de mais esta unidade”, acrescentou Mariléa. O Hospital do Iaserj foi cedido pelo governo Cabral ao Instituto Nacional do Câncer para ser demolido e construído em seu lugar outro prédio do Inca, com verbas do governo federal.

O diretor do Iaserj, Nelson Ferrão, esteve na assembleia e disse que oficialmente não recebeu qualquer comunicação sobre desativação ou demolição do Hospital Central do Iaserj. Acrescentou que, se isto acontecer, será um desserviço à população que procura a unidade. Fez um raio X sobre as atividades do Hospital Central do Iaserj. “A unidade tem 1.500 servidores, faz, por mês, 9 mil consultas, 30 mil exames, 100 internações, 1.400 exames de imagem (raios X e tomografia) e tem 19 leitos de CTI”, informou.

Como parte da luta contra a desativação e posterior demolição do Hospital Central do Iaserj (Rua Henrique Valadares, próximo à Praça da Cruz Vermelha), os servidores decidiram lotar a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), durante audiência pública a ser realizada hoje, dia 30 de novembro, às 11 horas, na sala 311, para discutir o assunto.

Para a audiência, estão sendo convocadas autoridades do governo do estado, além de conselheiros de saúde e representantes sindicais. Na ocasião, o deputado Paulo Ramos (PDT-RJ), autor da convocação da audiência, vai cobrar, também, informações sobre o destino dado aos bens patrimoniais dos setores já desativados do Iaserj (Madureira, Gávea e Penha) e os do Hospital Pedro II. (com informações do Sindsprev-RJ)

Compartilhe