Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Servidores fazem protesto contra galeria vazia na Alerj

Eles dizem que divisão de convites é desigual. Até 16h35 desta quarta, 79 convites já tinham sido distribuídos, segundo Alerj.

RJ: Servidores protestam nas galerias da Alerj contra distribuição de senhas

Um grupo de servidores públicos do Estado fez um protesto durante discussão no plenário da Assembleia Legislativa na tarde desta quarta-feira (23), durante discussão de dois projetos do pacote de austeridade enviado pelo governo. Das três principais galerias apenas uma estava lotada. Eles gritavam “Galeria vazia não é democracia”. Os servidores dizem que a divisão de convites é desigual porque os deputados não estariam repassando os convites para os servidores.

Até 16h35 desta quarta, 79 convites já tinham sido distribuídos pela casa para que representantes de associações e sindicatos pudessem acompanhar as sessões relativas ao pacote do Executivo. A informação é da Alerj.

Segundo a assessoria da Alerj, ao todo, 22 lideranças sindicais retiraram os convites com a segurança, na rua Dom Manuel, na parte de trás do Palácio Tiradentes, num total de 41. Destas, três entidades retiraram apenas um convite. Os deputados distribuíram 38 convites.

Seguindo determinação judicial, a presidência da Alerj determinou que 36 entidades podem retirar dois convites cada para acompanhar as sessões nas galerias, mediante apresentação de documentos que comprovem a ligação com a entidade. A cota de deputados, que era de quatro por parlamentar, caiu para dois. Neste caso, cabe ao parlamentar decidir os critérios para distribuir os convites.

Durante o protesto os servidores cantaram também o Hino Nacional e pediram o fim do que chamam de “ditadura civil”.

Dois projetos em discussão

A Alerj discute nesta quarta outros dois projetos do pacote de austeridade do governo. Um deles trata do reajuste de R$ 6,50 para R$ 7,50 do Bilhete Único (ou seja, um aumento de 15%), a partir de janeiro de 2017. O projeto de lei 2248 quer ainda limitar o subsídio para cada usuário a até R$ 150. O outro, o projeto 2247, impõe pagamento de passagem das barcas aos moradores de Paquetá e Ilha Grande, hoje isentos. Caberá a Agetransp criar uma “tarifa diferenciada”, caso ele passe pela Casa.

Corte de regalias

Mais cedo, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta quarta-feira (22) oito projetos do presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), que cortam regalias dos deputados. Cinco deles, que representam uma economia de R$ 5,6 milhões por ano, já têm efeito imediato. Os demais são projetos que precisam ser submetidas ao plenário e podem representar uma economia anual de R$ 26,05 milhões.

A decisão foi unânime dos 13 parlamentares que compõem a Mesa Diretora, embora dois deles tenham apresentado restrições a alguns trechos da proposta.

Os atos que passam a valer desde já são:

– corte de combustível dos carros de parlamentares (R$ 1,5 milhão)
– publicação de discursos apenas em Diário Eletrônico (R$ 2 milhões)
– fim dos selos (R$ 1,5 milhão)
– redução de vagas alugadas para estacionamento de carros (R$ 600 mil)
– criação de uma comissão para melhorar o Portal da Transparência
As questões que precisam ser votadas por todos os parlamentares e ainda não têm data marcada são:
– antecipação de sessões solenes para economia de hora extra e energia (R$ 18 milhões)
– redução da troca de frota, que era de 4 em 4 anos (R$ 8 milhões)
– fim dos coquetéis (R$ 50 mil)
“Nós temos que fazer cortes. É inevitável. Há necessidade de fazer cortes de toda natureza. É o que exige a política e a sociedade”, diz Picciani.

FONTE: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/servidores-fazem-protesto-contra-galeria-vazia-na-alerj.ghtml

Compartilhe