Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
destaque home

Trabalhadores de todo o Brasil preparam Greve Geral em 14 de junho

O dia 14 de junho foi definido por centrais sindicais como uma data de mobilização em defesa da Previdência Social. Trabalhadores de várias categorias em todo o país irão paralisar suas atividades e se unir em uma grande Greve Geral contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 — a chamada Reforma da Previdência.

No início do primeiro semestre, os serventuários debateram o projeto de mudança no sistema previdenciário em assembleias regionais e decidiram lutar pelo direito constitucional à seguridade social, participando de todos os atos com essa pauta. A decisão foi ratificada no 7º Conselho de Delegados Sindicais, que aconteceu na última sexta-feira (31).

Por isso, o Sindjustiça-RJ irá aderir à Greve Geral e convoca todos os servidores a suspender suas atividades e irem às ruas pelo futuro da população brasileira.

Mais detalhes sobre a programação específica para os serventuários e o ato unificado na capital serão divulgados nos próximos dias. Por ora, é fundamental que toda a categoria se programe para não comparecer a seus locais de trabalho no dia 14, e alerte os colegas sobre a importância de participar do movimento.

A adesão à Greve Geral está acima de partidos políticos e ideologias. A luta é contra um projeto inconsistente e questionável, construído para trocar os direitos da população por lucros e vantagens para o mercado financeiro.

Por que precisamos lutar contra a Reforma da Previdência?

A PEC é vendida pelo Governo Federal como um projeto indispensável para a sobrevivência do sistema previdenciário. No entanto, a verdade é que a proposta desconsidera todas as conclusões da CPI da Previdência, finalizada em 2017, e propõe uma série de mudanças que irão sacrificar a qualidade de vida de aposentados e pensionistas sem nenhuma contrapartida relacionada aos reais desafios da Previdência Social.

A Reforma é baseada em um deficit que foi desmentido pela própria CPI e ignora todos os problemas detectados pela investigação, como a inadimplência de grandes empresas, a corrupção, a sonegação fiscal, e a dívida pública.

Se a proposição for aprovada, o Governo Federal irá dificultar o acesso à aposentadoria, reduzir os valores dos benefícios e prejudicar múltiplas gerações de famílias brasileiras sem fortalecer a Previdência. A população vai sofrer sem que nenhum problema seja realmente resolvido.

Como se não bastasse, as alterações serão feitas com base em um modelo previdenciário que já deu errado em 30 países, deixando um rastro de pobreza, desigualdade social e falta de assistência por onde passou. Permitir que essa história se repita no Brasil é inadmissível.

Por isso, no dia 14, a categoria estará nas ruas denunciando o desmonte e mostrando que o povo não irá aceitar que direitos assegurados pela Constituição Federal sejam descartados.

Junte-se a essa luta! Participe do processo de mobilização e do ato unificado, e não deixe de conversar com amigos e familiares sobre o motivo da Greve Geral. A luta é por nós e pelo futuro do país!

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe