Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

CONCURSO PÚBLICO: 60 MIL VAGAS ATÉ DEZEMBRO

Com ou sem crise financeira mundial, a administração pública não pode parar. E para funcionar e atender bem a população precisa de profissionais qualificados trabalhando. Em âmbito federal, o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão — responsável pelas autorizações dos concursos — já avisou que as seleções autorizadas vão ser realizadas. No Estado do Rio há vários processos seletivos que já receberam o sinal verde do governador Sérgio Cabral. Sendo assim, cerca de 60 mil oportunidades podem ser abertas durante este ano nos governos federal, estadual e nos municípios.

Muitos cargos autorizados pelo Ministério do Planejamento no ano passado ainda não foram oferecidos em concursos — para 2009 já foram autorizadas 463 vagas efetivas, mais 230 para contratação de profissionais temporários. É o caso das 419 vagas que a Funasa tem para preencher. A fundação, inclusive, está em processo de escolha da instituição que vai organizar a seleção. Estão previstas 185 vagas para agente administrativo (Nível Médio), 20 para técnico em Contabilidade e 214 em cargos de Nível Superior.

Diversos órgãos federais já enviaram pedido ao Planejamento e aguardam autorização para publicarem seus editais. O Banco Central é um deles. Desde o ano passado a instituição solicitou ao ministério 520 vagas: 350 de técnico de Nível Médio, 150 de analista de Nível Superior e 20 de procurador (Direito). A intenção do banco é realizar concursos periódicos nos próximos anos, já que muitos funcionários estão próximos de pedir aposentadoria. Empresa pública, o Banco do Brasil já anunciou que este ano, no segundo semestre, novas seleções serão abertas em todo o país, inclusive no Rio.

No Estado do Rio, Degase, Detran, Emater, Polícia Militar, Polícia Civil e secretarias de Fazenda e Planejamento estudam abrir concursos durante todo este ano. No município do Rio, o prefeito Eduardo Paes publicou na semana passada decreto limitando as contratações de aprovados em concursos à análise da Codesp (Comissão de Programação e Controle de Despesas), que fará levantamento do impacto das contratações no orçamento municipal. (informações do O Dia Online)

Compartilhe