Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Deu na imprensa — parte 3

SERVIDORES DA JUSTIÇA MANTÊM GREVE QUE JÁ DURA QUASE DOIS MESES

A Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) votou o reajuste salarial dos servidores da Justiça, que estão há quase dois meses em greve. Com a paralisação, muitos processos estão parados.

Uma passeata com mais de mil serventuários, de acordo com a Polícia Militar, cruzou a Avenida Presidente Antônio Carlos, no Centro da cidade do Rio. Todos seguiram em direção à Alerj.

A escadaria da Alerj foi ocupada por centenas de pessoas que trabalham nos fóruns de todo o estado do Rio. A greve dos servidores da Justiça já dura 58 dias. Segundo o sindicato, dos 15 mil funcionários, 70% estão em greve. “A gente aceita 7,3% de reajuste, retroativos a maio. Se isso não for aprovado, a greve continua”, afirmou um serventuário.

Antes da votação, o líder do governo na Alerj, deputado estadual Paulo Melo (PMDB), apresentou uma outra proposta. “Até agora, o governo acenou com 5% de reajuste, retroativo até setembro. Esta é a proposta do governo. Se não existir nenhuma possibilidade de acordo, a questão vai ser resolvida com o que a democracia tem de mais especial: o voto”, disse Paulo Melo.

Ao todo, 150 manifestantes tiveram permissão para acompanhar a sessão. Eram quase 17h, e 45 deputados estavam no plenário da Alerj. Para que o reajuste de 7,3% seja aprovado, é preciso que, pelo menos, 36 deputados votem a favor do aumento.

O projeto de aumento foi enviado à Alerj em agosto de 2008. A votação não tinha sido feita ainda porque o governo é contra o reajuste, que representaria um impacto de R$ 300 milhões nas contas do estado.

A votação terminou no início da noite desta quarta-feira. O reajuste aprovado foi de 5%. O placar foi apertado: 31 votos a 29. Segundo os serventuários, a greve vai continuar. (Globo, RJTV 2ª Edição)

Compartilhe