Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Estado do Rio declara não ter verba para repassar aos três poderes

Documento representa quebra do acordo firmado com o Tribunal de Justiça do Rio
BRASÍLIA – Em documento enviado ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, nesta quinta-feira (30), o procurador do Estado do Rio de Janeiro, Emerson Barbosa Maciel, afirmou que o estado não possui recursos suficientes para efetuar o pagamento dos duodécimos (recursos que o estado deve transferir aos três poderes) até o fim deste mês. A ausência de repasse do valor representa quebra do acordo firmado entre o estado e o Tribunal de Justiça (TJ) do Rio, que foi mediado pelo ministro no ano passado. Ficou combinado que o governo deveria realizar o repasse até o dia 20 de cada mês.
A declaração vem em resposta à solicitação de Toffoli de um posicionamento do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, sobre o pedido do TJ para que seja feito o arresto de R$ 275.091.289,54 dos cofres do governo fluminense, em razão da falta de pagamento dos duodécimos. Os valores são usados para pagar os servidores da Justiça.
O presidente do TJ declarou que apenas R$ 38 milhões haviam sido depositados pelo estado e que a previsão do governo era repassar os valores da folha líquida de pessoal do Judiciário até 10 de abril. Isso, segundo disse na carta o atual presidente do TJ, Milton Fernandes, “implica no desrespeito por parte do Poder Executivo do acordo firmado junto ao Supremo Tribunal Federal”.
De acordo com o documento enviado a Toffoli, a quitação do repasse só será possível no dia 6 de abril, devido a pagamentos de outros acordos. Em um deles, já foram desembolsados R$ 53 milhões para a terceira parcela do ressarcimento previsto na ação. Em outro, foram gastos R$ 112 milhões referentes à folha salarial dos servidores ativos, além de R$ 65 milhões, de parcela do décimo terceiro.
“De acordo com o fluxo diário de arrecadação, estima o ofício que a quitação do repasse se dê até o dia 6 de abril de 2017, com repasses de R$ 16.320.637,10 em 30/03/2017, de 12.580.776,93, em 31/03/2017, de 30.317.777,41, em 03/04/2017, de 32.173.086,76, em 04/04/2017, de 59.904.755, 51, em 05/04/2017 e, finalmente, de 5.788.055,25, em 06/04/2017”, informa o texto.
Em dezembro, o então presidente do TJ, desembargador Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, assinou acordo com Pezão. O tribunal concordou, na ocasião, em utilizar recursos próprios para arcar com parte do salário de novembro do Judiciário, além de quitar a folha do 13º salário. Em contrapartida, o governador deveria repassar, até o 20º dia de cada mês, o duodécimo do tribunal, e ainda pagar, em 12 parcelas, o que o TJ gastou com o 13º salário. O duodécimo soma cerca de R$ 210 milhões, além de duas parcelas do décimo terceiro, que somam R$ 65 milhões.

FONTE: http://oglobo.globo.com/rio/estado-do-rio-declara-nao-ter-verba-para-repassar-aos-tres-poderes-21138636

Compartilhe