Skip to content

MANIFESTAÇÃO DE SERVIDORES NA FRENTE DO SUPREMO INCOMODA MINISTROS

Uma manifestação de servidores do Judiciário em frente à entrada principal do Supremo Tribunal Federal, na Praça dos Três Poderes, em Brasília, incomodou os ministros da corte nesta quinta-feira (4/9). O trabalhadores fizeram um “buzinaço”, para chamar atenção às suas reivindicações, e atrapalhando o andamento dos trabalhos no Plenário do STF, já que os ministros ficaram com dificuldade de se ouvir.

Na sessão desta quinta, o ministro Luiz Fux questionou: “Isso é democracia? Isso é liberdade de expressão?”, apontando para as janelas do Plenário. A ministra Rosa Weber compactuou: “Vejam que até mesmo sons com menos de 80 decibéis são insuportáveis ao ouvido humano”. “Pois é. Será que não conseguimos resolver esse excesso de democracia no intervalo?”, indignou, de novo, Fux.

A manifestação do Sindicato dos Servidores do Judiciário e do Ministério Público da União no Distrito Federal (Sindjus-DF) reclamam do corte feito pelo Executivo que atingiu um projeto de plano de carreira da classe. De acordo com o ministro Ricardo Lewandowski, presidente do STF, esse projeto a que os servidores se referem foi enviado ao governo pelo ministro Cezar Peluso, ex-presidente do STF, aposentado desde agosto de 2012. Ou seja, foi apoiado pelos ministros do Supremo, que agora são vítimas da manifestação.

No Plenário, Lewandowski, deu a entender que já fez sua parte: encaminhou ao Congresso proposta de aumento do salário dos ministros do Supremo, que serve de parâmetro para a remuneração de todos os servidores públicos. “De qualquer maneira, só acho que estão no endereço errado”, alfinetou o ministro. “Posso dizer apenas que o fundo musical é de péssimo gosto”, completou seu colega de corte, Marco Aurélio. (informações do Consultor Jurídico)

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

NOTA DE PESAR

Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento de Maria Auxiliadora Rio Doce. Maria trabalhava como escrevente juramentada no 18º oficio de notas. O velório será neste