Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

RJ e União devem assinar socorro financeiro no dia 23 de janeiro

O governo federal vai exigir uma contrapartida: a Assembleia Legislativa do Rio deve aprovar um novo pacote de austeridade, que vai ser reenviado por Pezão, em até 90 dias. Informação é exclusiva da CBN. Projeto deve prever aumento na alíquota previdenciária para ativos e aposentados, segundo presidente da Alerj.
O Rio de Janeiro e a União devem assinar o novo acordo de socorro financeiro no próximo dia 23 de janeiro. A informação é exclusiva de Fernando Molica, novo âncora do CBN Rio. Após semanas de negociações intensas entre o estado e o Ministério da Fazenda, ficou acertado que haverá uma contrapartida: a Assembleia Legislativa precisa aprovar em até 90 dias um novo pacote de austeridade, que será reenviado pelo governador Luiz Fernando Pezão.
O presidente da Alerj, Jorge Picciani, afirmou em entrevista ao CBN Rio que vai defender as novas medidas que serão propostas pelo Executivo: têm diferenças marcantes do pacote de maldade… Esse, eu diria que é o pacote da realidade. Picciani disse que projeto é o único capaz de tirar o RJ desse buraco e colocar fim à crise financeira no RJ.
Atualmente, a maioria dos servidores ainda recebe de forma parcelada o salário de novembro. Dezembro e o 13º estão atrasados.
Picciani disse que vai defender a aprovação do projeto que será enviado, prevendo uma contribuição provisória para aposentados e pensionistas de 6% por dois a três anos. Servidores da ativa também devem sofrer mudança na contribuição provisória: alíquota pode passar de 11% para 14%, além de um acréscimo temporário de 8%. Dessa forma, a contribuição previdenciária pode passar a 22%, em vez dos 30% sugeridos inicialmente pelo Palácio Guanabara.
Aí que está a grande questão que precisamos discutir. A contribuição vai aumentar, mas os servidores vão receber em dia, afirmou. No entanto, ele ainda vê desconfiança nos bastidores da Alerj e diz que tenta conseguir apoio ao novo pacote.
Ele também defendeu também a decisão da presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, que proibiu o bloqueio das contas do estado por causa de dívidas com a União: fundamental.

FONTE: http://cbn.globoradio.globo.com/programas/cbn-rio/2017/01/16/RJ-E-UNIAO-DEVEM-ASSINAR-SOCORRO-FINANCEIRO-NO-DIA-23-DE-JANEIRO.htm

Compartilhe