Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

SAÚDE ESTADUAL INDICA GREVE DE 24H NO DIA 10 DE NOVEMBRO E ADESÃO À CAMPANHA FORA CABRAL

Construir em cada hospital, em cada local de trabalho as condições para fazer uma grande paralisação por 24 horas no dia 10 de novembro. Esta é uma das deliberações da assembleia geral dos servidores da rede estadual de saúde do Rio, que também aprovou a adesão à campanha “Fora Cabral”, que deve denunciar à população as condições caóticas da saúde pública, as tentativas de privatização, os desvios de recursos, as irregularidades e as maquiagens com o orçamento público.

Ocorrida na tarde de quinta-feira (27), na sede do Sindsprev-RJ, a assembleia decidiu ainda convocar uma manifestação para a próxima quinta-feira, dia 3 de novembro, a partir das 14 horas, em frente à Secretaria Estadual de Saúde, na rua México 128. A luta é pelo fim do processo de privatização, pela reposição das perdas salariais, pelo cumprimento da lei do PCCS (Plano de Cargos, Carreiras e Salários), dentre outros pontos.

A assembleia debateu a necessidade de buscar a parceria com outros setores do funcionalismo estadual — daí a decisão de trabalhar para rearticular as reuniões do Musp (Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Rio) — e de tentar trazer a população para a campanha – uma carta aberta será produzida e distribuída com essa finalidade.

Para dar visibilidade ao movimento contra as privatizações, a corrupção e pelo respeito aos direitos dos servidores, decidiu-se organizar uma nova manifestação em Brasília durante a Conferência Nacional de Saúde, que acontecerá no final de novembro. O protesto denunciará também o constante desrespeito dos governos às decisões dos conselhos de saúde contrárias à privatização.

A proposta de paralisação de 24 horas no dia 10 já havia sido aprovada, antes da assembleia geral, nos hospitais Rocha Faria e Albert Schweitzer, ambos da Zona Oeste. A meta agora é levar a ideia às demais unidades e convencer cada servidor da urgência de a categoria se mobilizar para enfrentar os ataques deste governo.

O dia da paralisação será marcado ainda por um ato público, cujo local e hora serão definidos nos próximos dias no sindicato. O objetivo é levar para as ruas a denúncia das condições da saúde e explicar por que a campanha “Fora Cabral” é, acima de tudo, um movimento em defesa da população do Rio de Janeiro. (com informações do Sindsprev-RJ)

Compartilhe