Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

25 DE NOVEMBRO: DIA INTERNACIONAL DE COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

Esta data foi estabelecida no Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e do Caribe realizado em Bogotá, Colômbia no ano de 1981, em homenagem às irmãs Mirabal. “Las Mariposas”, como eram conhecidas as irmãs Mirabal — Patria, Minerva e Maria Teresa — foram brutalmente assassinadas pelo ditador Trujillo em 25 de novembro de 1960, na República Dominicana.

Muitas mulheres do mundo inteiro são vítimas da violência, majoritariamente no espaço doméstico. Segundo estimativas, a mulher vitimada tem sua vida diminuída em até nove anos. No Brasil, a cada quatro segundos uma mulher é agredida em seu próprio lar por uma pessoa com quem mantém relação de afeto. Além disso, não podemos esquecer a agressão nas ruas e locais de trabalho e estudo, corriqueiras no dia a dia, em especial das mulheres pobres trabalhadoras.

O massacre que as mulheres trabalhadoras enfrentam em todas as esferas de suas vidas é cruelmente silenciado ou dissimulado através de preconceitos. Desde a escola até os locais de trabalho a mulher é obrigada a conviver com o assédio e a subestimação. Além disso, não podemos deixar de citar a violência econômica à que as mulheres são submetidas, que se reflete nos salários mais baixos, nas duplas e triplas jornadas de trabalho, no assédio sexual.

Embora tenha avançado em relação à antiga lei, a Lei Maria da Penha não garante de fato a punição ao agressor, assim como não garante os serviços essenciais à mulher que sofre agressão, como casas abrigo, creches, assistência médica e psicológica, centros de Referência com profissionais capacitados e estabilidade remunerada no emprego. Frente a esse cenário, só resta às mulheres a sua força coletiva para resistir e transformar essa triste situação. (informações da Conlutas)

Compartilhe