Skip to content

ASSÉDIO MORAL REFLETE A ESTRUTURA DO JUDICIÁRIO, DIZ PSICÓLOGO

O assédio moral aos servidores do Judiciário brasileiro não é mero desvio de conduta das chefias, mas reflexo de uma estrutura assediadora que compõe a lógica de funcionamento da instituição. A explicação foi dada pelo psicólogo Daniel Luca, assessor do Sintrajud, em palestra que atraiu grande número de servidores à Justiça do Trabalho de Santos na última sexta feira (30/1).

Além de abordar de forma geral o tema do assédio moral no trabalho, Daniel falou sobre outras formas de violência a que estão submetidos os servidores do Judiciário Federal. “Muitos servidores sofrem assédio cotidianamente, mas sequer têm consciência disso e acabam se culpabilizando, quando na realidade são as vítimas de uma forma de violência”, afirmou.

No debate que se seguiu à palestra, os servidores destacaram a importância de se fortalecer a organização dos trabalhadores para lutar contra o assédio.

“TERRÍVEL REALIDADE” — Foi o que apontou o diretor do Sintrajud Salomão Ferreira, para quem “a única maneira de acabarmos com as violências que sofremos no dia-a-dia é fortalecendo nossa unidade e organização.”

Para a diretora Lynira Sardinha, a palestra e o debate na JT Santos fazem parte dessa luta. “São iniciativas como esta que possibilitarão o conhecimento, não apenas sobre o assedio moral, mas também sobre como lutar contra essa terrível realidade que destrói a saúde e a vida de muitas pessoas”.

Promovida pela subsede Santos do Sintrajud, a atividade contou com o diretor Ênio Mathias na organização e foi coordenada por Salomão e Lynira, tendo ainda presença dos diretores de base do prédio, Júlio Cesar e Elton Teixeira, além de Rogerio Baldini, da JT Praia Grande.

Tendo em vista o sucesso do evento, já estão sendo programadas para os próximos meses outras palestras na Baixada Santista e em outras regiões. (informações do Sintrajud-SP)

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

NOTA DE PESAR

Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento de Maria Auxiliadora Rio Doce. Maria trabalhava como escrevente juramentada no 18º oficio de notas. O velório será neste

NOTA DE PESAR

Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento da nossa colega Mônica Vasconcellos Santos, que era lotada na comarca de Niterói. O velório e o sepultamento serão