Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

CABRAL FEZ OBRAS EM HOSPITAL QUE AGORA QUER DEMOLIR

O fato ganhou evidência na audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Rio, no dia 30 de novembro, que abordou a decisão do governo do estado de desativar o Hospital Central do Iaserj, na Cruz Vermelha, implodi-lo e ceder a área para o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

Ao tentar explicar quais eram suas atuais ligações com o Iaserj, o médico e assessor técnico da secretaria de Saúde Jorge Ronaldo Moll acabou revelando que foram investidos, em 2008, R$ 50 milhões em obras no hospital. A quantia chamou a atenção dos presentes à audiência, levando o deputado Paulo Ramos, que presidia a sessão, a dizer que, embora Moll não tivesse dado grandes esclarecimentos, ao menos trouxe uma “informação preciosa”, o valor supostamente gasto em obras recentes no hospital.

O assessor técnico, no entanto, que já ocupou o cargo de diretor do Iaserj, recuou do que dissera e alegou que se referia não apenas a obras, mas basicamente a despesas de custeio, isto é, com o funcionamento da unidade. O médico, porém, não esclareceu quanto teria sido gasto com custeio e quanto com obras ou outros investimentos, como compra de aparelhos.

Ao começar a falar na audiência, Moll fez questão de frisar que não estava ali representando o secretário de Saúde, Sergio Côrtes, e que responderia apenas sobre a sua área de atuação. A ausência do secretário, cotado para ocupar o cargo de ministro da Saúde, foi muito criticada.

A falta de transparência faz com que faltem dados sobre os recursos envolvidos no caso. Quanto à realização das obras, no entanto, não há dúvidas: elas foram feitas poucos anos antes da decisão de implodir as 19 edificações que compõem a área de 14 mil metros quadrados onde se situa a principal unidade do Iaserj, instituto criado na primeira metade do século passado para atender servidores públicos estaduais.

Os servidores prometem resistir ao projeto de demolição do hospital. Fazem, nesta quarta-feira (8/12), a já tradicional Ceia da Miséria, no pátio central da unidade, a partir das 10 horas. (informações do Sindsprev-RJ)

Compartilhe