Skip to content

EDUCAÇÃO EM BAIXA

Está comprovado: diminui a passos constantes e largos o interesse pelo magistério. O déficit de professores só faz crescer. Segundo dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), 753,8 mil professores da educação básica — nas redes pública e privada — davam aulas para cinco ou mais turmas em 2009. A rede estadual de ensino do Rio de Janeiro registra a saída de cerca de 20 professores, por dia, das escolas.

Em resposta ao Requerimento de Informações que o vereador do município do Rio de Janeiro Eliomar Coelho enviou à secretária municipal de Educação, foi apurado que há mais de 11 mil duplas regências com a finalidade de suprir a carência de 12.260 professores nas salas de aula.

Para cobrir este déficit, que só tem contribuído para a piora na qualidade de ensino, é preciso contratar, sim, mais professores. Mas isso não é suficiente. Quando, afinal, teremos um Plano de Cargos e Salários decente, e real, que comece a recuperar a dignidade e o status do professor? Há previsão orçamentária para que o Plano de Carreira do Magistério seja implementado em 2011 a fim de que melhores salários novamente atraiam mais jovens bem formados e com vocação?

Dados da Fundação Carlos Chagas dão conta que 68% dos alunos de licenciatura estudaram em escolas públicas com péssimo desempenho no Enem. Quase a metade vem de famílias com renda abaixo de cinco salários mínimos, onde os pais só estudaram até a 4ª série do ensino fundamental. Uma geração oriunda de um ensino público que vem sofrendo um verdadeiro desmonte. (informações do mandato do vereador Eliomar Coelho — PSOL)

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

DIA DO ADVOGADO – 11/AGO

Não basta ter conhecimento jurídico, ser competente, pontual ou ter boa oratória… sempre haverá pedras no caminho, que fariam pessoas comuns desistirem ou repensarem as

NOTA DE PESAR

Infelizmente, faleceu hoje o nosso querido funcionário Marco Paulo Feitosa, que atuava no setor de arquivo do Sind-Justiça. Era um dos funcionários mais antigos do

X