Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Estado antecipa leilão para escolher banco que fará pagamento de servidores

Governo busca implementar cinco medidas para arrecadar R$ 1,5 bilhão

17/04/2017 17:40:30 – ATUALIZADA ÀS 18/04/2017 11:16:17

Rio – Às vésperas da votação da recuperação fiscal dos estados pela Câmara Federal, o governo do Rio investe também em outras ofensivas contra a grave crise financeira. São cinco medidas a serem implementadas entre maio e junho e que podem elevar a receita, a curto prazo, em R$1,5 bilhão, e a médio e longo prazos, a R$ 6 bilhões. Uma das ações afeta diretamente o dia a dia dos servidores: a antecipação do leilão que define o banco administrador da folha de pagamento.
Atualmente, o Bradesco é o responsável por pagar os salários do funcionalismo. O contrato com o estado vai até novembro e, por isso, o leilão deveria ocorrer no fim do ano. Mas o Executivo Fluminense, agora, busca adotar medidas que antecipem receitas futuras e garantam, assim, o pagamento dos servidores.
“Somando tudo isso, estamos falando de, no mínimo, R$ 5 bilhões a R$ 6 bilhões. Estamos com a perspectiva de acrescentar no caixa, olhando para maio, junho, algo em torno de 1,5 bilhão”, afirmou o secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo.
As outras quatro medidas são: securitização da dívida ativa; suspensão por 180 dias de créditos que empresas têm com o estado; antecipação de pagamento de tributos e também da licitação de linhas de ônibus intermunicipais.
Segundo Áureo, a demora na aprovação da Recuperação Fiscal pelo Congresso levou o estado a ter urgência na adoção dessas medidas.
“Nossa luta é para fechar maio com tudo isso de pé. Se o plano for aprovado, somando as cinco medidas, o estado poderá regularizar a folha, o 13º, e começar a ter fluxo normal de suprimento do custeio na Saúde, nas universidades”, disse o secretário.Ele garantiu ainda que , “numa perspectiva realista”, em 60 dias o estado teria “fôlego renovado”.
Nesta segunda-feira, ele, o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, e representantes da PGE se reuniram com o presidente do TJ-RJ, desembargador Milton Fernandes, para tratar do mutirão de cobrança da dívida ativa. O plano estará fechado até o dia 30. Áureo também esteve com o presidente em exercício da Alerj, André Ceciliano (PT), semana passada, para conversar sobre a proposta de antecipação de tributos, que será enviada à Casa.

Recuperação fiscal deve ser votada nesta terça

A Câmara dos Deputados deve levar ao plenário hoje, novamente, o projeto de lei complementar que cria o Regime de Recuperação Fiscal (RRF) dos Estados e Distrito Federal. O texto suspende por três anos o pagamento das dívidas dos entes com a União, com prazo prorrogável por mais três anos.
A votação da proposta vem sendo adiada há duas semanas, mesmo com o início dos trabalhos pela Casa. Na última semana, a divulgação da lista de deputados que tiveram inquérito autorizado pelo STF esvaziou o plenário.
Além disso, a oposição tem obstruído a pauta, alegando que a proposta ataca os direitos dos servidores e cria um estado mínimo, já que determina congelamento de gastos públicos. O texto inclusive determina o aumento da alíquota previdenciária para 14%.
Ontem, o líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP), afirmou que a oposição vai obstruir novamente os projetos de interesse do governo, entre eles o de recuperação fiscal dos estados em calamidade.

Entenda as propostas

Antecipação de ICMS

O governo está em conversa com a Alerj para levar à frente projeto de antecipação de pagamento de ICMS, de forma voluntária, pelas empresas. Aquelas que quiserem participar poderão ter algum tipo de bonificação. O objetivo é, especialmente, a adesão das 100 maiores empresas contribuintes.

Securitização

Venda do fluxo da dívida ativa (débitos que empresas e pessoas físicas têm com o Rio). Hoje, o estado recebe, pela cobrança na Justiça, de R$ 300 milhões a R$ 350 milhões por ano. Com a securitização, instituições financeiras farão a cobrança e, segundo o estado, podendo gerar melhore resultados. O edital deverá ser lançado em maio. Na reunião de ontem entre representantes do governo com o presidente do TJ-RJ, desembargador Milton Fernandes, foi discutida a elaboração do edital de securitização. Além disso, ficou acertado o mutirão de cobrança pela Justiça. Com isso, haverá reforço nesse trabalho. A reunião contou ainda com deputados e a conselheira do TCE-RJ, Marianna Montebello.

Adiantamento do leilão

Essa medida vai adiantar um procedimento de escolha do banco que vai administrar a folha de pagamento, que seria feito no fim do ano. O contrato com o Bradesco termina em novembro. O estado quer antecipar a licitação para maio, adiantando essa receita.

Licitação de linhas

Audiências públicas já foram realizadas para discutir a licitação de linhas de ônibus intermunicipais. O processo está sendo finalizado e o objetivo é realizar a licitação em maio.

Suspensão de crédito

Segundo o Executivo, algumas empresas acumulam créditos de ICMS com o estado, e que podem até ser repassados a outras empresas. O estado vai suspender essas transferências. A expectativa é de aumento da arrecadação, “já que ninguém estará compensando grandes volumes de crédito”, informou o governo em nota.

FONTE: http://odia.ig.com.br/economia/2017-04-17/estado-antecipa-leiao-para-escolher-banco-que-fara-pagamento-de-servidores.html

Compartilhe