Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Opinião

ESCRAVIDÃO DE GRIFE

[Por Sérgio Domingues] “A gente acredita que a imensa maioria da produção têxtil paulista, o que costuma ser comercializado por C&A, Renner, Riachuelo, Pernambucanas, grifes como a Collins, é resultado de mão de obra escrava de trabalhadores sulamericanos”.

A declaração acima é de Renato Bignami, chefe da Seção da Fiscalização do Trabalho da Superintendência Regional de São Paulo. Foi publicada na nota “Capital paulista abriga escravidão”, de Lúcia Rodrigues para a revista Caros Amigos, de julho passado.

O texto diz ainda que a rede de lojas Marisa foi multada 49 vezes pela Justiça do Trabalho por envolvimento com trabalho escravo.

Compartilhe