Skip to content

Privatização da Cedae é contrapartida para socorro financeiro ao RJ

Governador Luiz Fernando Pezão disse que aceita conceder parte da empresa à iniciativa privada. Palácio do Planalto, porém, quer a venda de 100% da companhia de água e esgoto do estado.

A privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) voltou a ser discutida como uma das soluções para a crise financeira do estado do Rio de Janeiro. Em reunião com o presidente Michel Temer, nesta quarta-feira (11), em Brasília, o governador Luiz Fernando Pezão disse à GloboNews que aceita “em parte” a concessão, primeiro à União e depois à iniciativa privada.
Pelo acerto com o governo federal, o estado deixaria de pagar R$ 23 bilhões em dívidas ao longo de três anos. A privatização da Cedae seria uma das contrapartidas exigidas pela União para selar o acordo. Segundo Pezão, o percentual que seria privatizado da empresa ainda será decidido em reuniões futuras.
Nos bastidores, porém, fontes do Palácio do Planalto que acompanham as discussões sobre o socorro financeiro ao Rio afirmam que a proposta do governo federal não é conceder parte da empresa, mas sim vender 100% da Cedae para a iniciativa privada.
Além do Planalto, o governador Pezão esteve com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e com dirigentes do Banco do Brasil e da Caixa Econômica, bancos que fizeram vários dos empréstimos ao governo do Rio e que hoje pressionam as contas estaduais. Pezão deu ciência aos diretores sobre o andamento do acordo de ajuda financeira ao estado.

FONTE: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/privaizacao-da-cedae-e-contrapartida-para-socorro-financeiro-ao-rio.ghtml

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

NOTA DE PESAR

Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento de Maria Auxiliadora Rio Doce. Maria trabalhava como escrevente juramentada no 18º oficio de notas. O velório será neste

NOTA DE PESAR

Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento da nossa colega Mônica Vasconcellos Santos, que era lotada na comarca de Niterói. O velório e o sepultamento serão