Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Rio terá que aprovar na Alerj aumento da contribuição dos servidores, diz Maia

Projeto de renegociação das dívidas ainda terá novas votações na Câmara

BRASÍLIA – O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira que foi “ruim” a Câmara ter rejeitado, na noite desta terça-feira, o aumento da contribuição previdenciária dos servidores estaduais dentro do projeto que trata de renegociação das dívidas dos estados mais endividados, como o Rio de Janeiro. Foi uma derrota para o estado fluminense, e o governador Luiz Fernando Pezão acompanhou a votação.
O aumento da contribuição de 11% para 14% seria uma obrigação para o estado poder receber o socorro financeiro, com a suspensão por três anos do pagamento da dívida junto à União. Mesmo com a derrota, Maia disse que o governo do Rio terá que aprovar o aumento na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), se quiser fechar as contas.
Nesta terça-feira, o secretário de Fazenda, Gustavo Barbosa, explicou que a lei já permite que o estado eleve a contribuição, mas ressaltou que isso é difícil politicamente e que a exigência dentro do projeto ajudaria na negociação junto aos deputados estaduais. A tendência é que Pezão tente aprovar a elevação da contribuição em lei estadual, já que o rombo hoje é de R$ 12,1 bilhões no sistema previdenciário do Rio.
— É ruim não ter sido aprovada essa contrapartida. As contrapartidas são um marco importante. Mas o próprio estado vai precisar, para conseguir entregar ao governo federal um plano de de reequilíbrio fiscal, vai ter que entregar o aumento da alíquota da contribuição previdenciária. Não tem como fechar o caixa do Rio. Felizmente, já começa a ter um grupo importante de políticos no Brasil que começa a falar a verdade, e tento estar neste grupo que fala a verdade, que não engana o servidor ou a sociedade — disse Maia.
Ele admitiu que o aumento de contribuição para servidor é uma medida “horrível”, mas disse ser necessária.
— O déficit do Rio é de R$ 20 bilhões, sendo R$ 11 bilhões da Previdência (na verdade, R$ 12 bilhões). Para que o servidor, o aposentado receba em dia, ou vai ter que cortar despesa, que não pode. Uma das fórmulas é aumentar a contribuição, o que é horrível, mas é um caminho que existe — afirmou o presidente da Câmara.
Mais uma vez, Maia disse culpou a falta de quorum, apesar de ter 430 deputados em plenário na noite desta terça-feira. O governo precisava de 257 votos para manter o aumento da contribuição previdenciária no texto, mas obteve apenas 241 votos.
— Ontem (terça-feira) não tinha quorum elevado. Faltaram 30 — disse Maia, afirmando que havia 460 deputados na Casa.
A Câmara suspendeu a votação. Ainda faltam seis destaques. O Rio de Janeiro obteve uma vitória de conseguir manter no texto a autorização para privatizar empresas, como a Cedae.
O governo poderá tentar reverter as mudanças no Senado, para onde vai a proposta depois de concluída a votação na Câmara, o que só deve ocorrer na próxima semana.

FONTE: http://oglobo.globo.com/rio/rio-tera-que-aprovar-na-alerj-aumento-da-contribuicao-dos-servidores-diz-maia-21258560

Compartilhe