Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

ALERJ CRIA CPI PARA INVESTIGAR EXTORSÃO A POLÍTICOS

Foi aprovada na última quarta-feira (25/11), em discussão única, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar um esquema de extorsão a prefeitos e candidatos nas eleições de 2006 e 2008 praticada pelo lobista Eduardo Raschkovsky. A Comissão será instalada hoje (27) e Raschkovsky deverá ser ouvido pelos deputados até sexta-feira da próxima semana. Os parlamentares pretendem ainda quebrar os sigilos fiscal, bancário e telefônico do lobista.

Uma série de reportagens do Globo revelou que Raschkovsky utilizava suas relações no Judiciário fluminense para oferecer a políticos blindagem em processos eleitorais em troca de vantagens financeiras e, assim, evitar a suspensão de seus registros de candidatura. Na lista de amigos do lobista está o corregedor-geral do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Roberto Wider, licenciado do cargo após as denúncias. Na época, Wider era presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ).

“O próximo passo agora é a instalação da CPI e a convocação imediata de Raschkovsky. O Wider também será ouvido”, disse Paulo Ramos (PDT), que presidirá a CPI. Também serão chamados para depor advogados que trabalham no escritório L.Montenegro Advogados Associados, administrado por Raschkovsky, e candidatos a prefeito e a deputado nos dois últimos pleitos.

Na relação de membros da comissão estão incluídos ainda Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), Paulo Melo (PMDB) e André Corrêa (PPS). Este último está cotado para ser o relator do caso. (informações de O Globo)

Compartilhe