Filiado à FENAJUD e ao DIEESE
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

Alerta aos serventuários: Rio de Janeiro tem casos suspeitos de sarampo. Saiba como se prevenir

Até a manhã desta quarta-feira (4), o estado do Rio de Janeiro investigava quatro casos suspeitos de contaminação por sarampo – um deles com resultado preliminar positivo, apenas aguardando o parecer final da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para confirmar o diagnóstico. Diante do panorama, o Sindjustiça-RJ reitera aos serventuários a importância de tomar precauções para prevenir a doença.

Para a diretora de saúde e condições de trabalho do sindicato, Gabriela Garrido, a categoria precisa estar alerta à gravidade da situação, já que não haviam casos da doença registrados no estado desde 2000.

“Estávamos há 18 anos sem diagnósticos de sarampo e agora estamos correndo o risco de enfrentar uma epidemia, como a que acontece na região norte do país.  É uma doença altamente contagiosa e que pode ser fatal. Os servidores do Judiciário entram em contato com muitas pessoas durante sua jornada de trabalho e precisam se proteger urgentemente”, ressalta Gabriela.

Como prevenir o sarampo

O sarampo é uma doença altamente contagiosa, transmitida de pessoa para pessoa por meio do contato com gotículas virais que se deslocam pelo ar quando o indivíduo contaminado espirra, tosse, fala ou mesmo respira.

Por isso, é importante que os serventuários colaborem mantendo os ambientes de trabalho ventilados e as janelas sempre abertas. Oficiais de justiça e outros servidores que transitam por diversos locais diariamente precisam ter cuidado dobrado.

A maneira mais efetiva de prevenir o sarampo é tomando a vacina tríplice viral, que também protege contra caxumba e rubéola. A imunização geralmente acontece ainda na infância, com uma dose aplicada aos 12 meses de idade e outra antes dos 2 anos.

Quem não foi imunizado pode procurar uma unidade de saúde e tomar a vacina em dose única. Nesse caso, o Ministério da Saúde autoriza a vacinação gratuita até os 49 anos. A partir dos 50 anos, só é possível realizar o procedimento em clínicas particulares. Pessoas que já tiveram sarampo uma vez não correm risco de serem contaminadas novamente.

Para evitar o surto da doença, é imprescindível que os serventuários levem seus filhos e netos para tomar a vacina. A despeito do que dizem notícias inverídicas espalhadas para causar pânico e confundir a população, não há evidências de que imunizar as crianças favoreça o aparecimento de transtornos físicos e psíquicos.

É justamente a negativa dos pais em levar os pequenos para serem vacinados que está causando o ressurgimento de doenças que, até então, eram consideradas erradicadas no Brasil.

Sintomas de sarampo

Os sintomas iniciais da contaminação por sarampo são coriza; febre alta, geralmente acima de 38°C; tosse persistente; e irritação nos olhos, semelhante à conjuntivite. Com o agravamento da infecção, começam a aparecer as famosas manchas vermelhas pelo corpo. O primeiro lugar afetado pelas erupções costuma ser o rosto.

Caso não seja tratado, o quadro pode ter complicações graves com o passar dos dias, como infecção nos ouvidos, diarreia, pneumonia, convulsões, lesão cerebral e pode levar até mesmo à morte.

Ao notar qualquer um desses sinais, os serventuários devem procurar ajuda médica o mais rápido possível. Além de contar com o plano de saúde oferecido pelo Tribunal de Justiça, filiados do Sindjustiça-RJ também podem se consultar em clínicas conveniadas ao sindicato. Clique aqui para acessar a lista completa.

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe