Skip to content

Deputado Picciani é suspeito de organizar propinas a conselheiros do TCE

Informação foi apurada pelo RJTV com exclusividade. Presidente da Alerj nega irregularidades.

O RJTV apurou que o presidente da Alerj, o deputado Jorge Picciani (PMDB) é suspeito de organizar pagamentos de propina aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado presos na operação desta quarta.
Picciani foi levado coercitivamente nesta quarta-feira (29) para prestar depoimento na Superintendência da Polícia Federal, no Centro do Rio. Ele ficou no local por 3 horas. O gabinete de Picciani na Alerj foi alvo de busca e apreensão. Agentes deixaram a assembleia com malotes, que foram levados para a sede da PF. A Alerj informou que os mandados de busca e apreensão nos gabinetes da presidência da casa foram cumpridos normalmente pela Polícia Federal.
Investigadores afirmam que os conselheiros do TCE receberiam 15% dos valores liberados do fundo de modernização do tribunal que foram usados pra pagar fornecedores de quentinhas pra presos e menores infratores.
O fundo foi criado pra investimento em obras e capacitação de pessoal do tribunal de contas , mas, pelo menos uma vez, no fim do ano passado, foi usado pra socorrer o estado durante a crise.
Segundo a investigação, Jorge Picciani também é suspeito de organizar pagamento de propina da Federação das Empresas de Ônibus do Estado (Fetranspor) aos mesmos conselheiro que favoreciam as empresas de ônibus nas fiscalizações do TCE.
A assesoria de Jorge Picciani disse que as acusações não fazem sentido e que, nesta quinta, ele fará um pronunciamento.

Operação Quinto do Ouro

A condução coercitiva de Picciani faz parte da Operação Quinto do Ouro, que foi deflagrada nesta manhã. A ação investiga desvios de até 20% de contratos com órgãos públicos para autoridades, em especial membros do Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ) e da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).
Seis mandados de prisão foram cumpridos contra conselheiros e um ex-conselheiro do tribunal. As prisões são temporárias, ou seja, têm prazo para terminar.
Seis mandados de prisão foram cumpridos contra conselheiros e um ex-conselheiro do tribunal. As prisões são temporárias, ou seja, têm prazo para terminar.

Veja a lista de presos:

Aloysio Neves, conselheiro e atual presidente do TCE
Domingos Brazão, conselheiro
José Maurício Nolasco, conselheiro
José Gomes Graciosa, conselheiro
Marco Antônio Alencar, conselheiro e filho do ex-governador e prefeito do Rio, Marcello Alencar
Aluísio Gama de Souza, ex-conselheiro
O G1 ligou para os gabinetes dos cinco conselheiros, mas não conseguiu contato. Os e-mails também não foram respondidos. A reportagem tenta localizar a defesa de Aluísio Gama de Souza.

FONTE: http://www.portalodia.com/noticias/politica/deputado-picciani-e-suspeito-de-organizar-propinas-a-conselheiros-do-tce-296052.html

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

NOTA DE PESAR

Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento de Maria Auxiliadora Rio Doce. Maria trabalhava como escrevente juramentada no 18º oficio de notas. O velório será neste

NOTA DE PESAR

Com enorme tristeza, comunicamos o falecimento da nossa colega Mônica Vasconcellos Santos, que era lotada na comarca de Niterói. O velório e o sepultamento serão