Skip to content

Em assembleia, Sindjustiça-RJ discute controle de produtividade para comissários, psicólogos e assistentes sociais

No dia 5, o Sindjustiça-RJ realizou uma assembleia extraordinária com comissários, psicólogos e assistentes sociais para discutir o Provimento 24/2019, publicado pela Corregedoria-Geral da Justiça (CGJ) em 24 de maio.

Em um claro desdobramento do processo de esgotamento dos servidores públicos que se intensificou em todas as esferas administrativas nos últimos tempos, a publicação institui critérios para controlar a produtividade do segmento.

O Provimento aponta que os registros devem ser feitos de maneira duramente burocrática, chegando a exigir um número mensal mínimo de pareceres técnicos que devem ser apresentados pelos servidores.

A medida também fere a autonomia profissional dos serventuários afetados, atropelando a regulamentação e códigos de ética dessas profissões. Como se não bastasse, a categoria não será o único grupo prejudicado, já que a precarização das condições de trabalho de psicólogos e assistentes sociais também irá afetar os próprios jurisdicionados.

Para o diretor de assuntos jurídicos do Sindjustiça-RJ, José Carlos Arruda, a publicação é questionável não apenas por burocratizar o processo de aferição de produtividade, mas por ignorar dinâmicas básicas do dia a dia de comissários, psicólogos e assistentes sociais.

“A medida passa por cima de vários aspectos, desde as particularidades de cada vara e atividade até as escalas para funções externas, quando afirma que os comissários devem estar sempre em suas serventias durante o expediente. Estamos lutando para que os servidores não precisam cumprir ordens exaustivas e sem sentido, e principalmente, para que não sofram nenhum tipo de coerção ou assédio moral para cumpri-las”, explicou Arruda.

Andamento

A mesa da assembleia foi composta por serventuários pertencentes aos três segmentos afetados pela publicação, além do Sindjustiça-RJ e representantes do Conselho Regional de Serviço Social do Rio de Janeiro (CRESS-RJ) e do Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro (CRP-RJ).

Por unanimidade, a categoria decidiu que o cumprimento do Provimento 24/2019 é inviável, uma vez que as diretrizes previstas no texto ignoram a realidade dos serventuários e aprofundam o processo de precarização das condições de trabalho.

O posicionamento dos serventuários será reforçado por meio da elaboração de duas notas técnicas – a primeira delas assinada pelos conselhos de classes profissionais e a segunda pela assessoria jurídica do Sindjustiça-RJ, que considera o controle de produtividade nos moldes propostos pela CGJ inconstitucional. As entidades também irão solicitar formalmente a suspensão do Provimento.

Categoria à frente da luta

A assembleia definiu que o enfrentamento à publicação será feito com o suporte de dois grupos primordiais. O primeiro deles é o Grupo de Trabalho (GT) específico do segmento que terá sua composição original mantida, com o acréscimo de alguns nomes, incluindo comissários.

O segundo é uma Comissão Especial, que foi formada durante a reunião deliberativa com um representante de cada segmento. Junto ao sindicato, esses serventuários serão responsáveis por definir a metodologia de trabalho para proteger a integridade e a qualidade da dinâmica de trabalho de comissários, assistentes sociais e psicólogos.

Os integrantes da Comissão também irão acompanhar o Sindjustiça-RJ, CRESS-RJ e CRP em uma reunião que será solicitada à Corregedoria-Geral de Justiça (CGJ).

Encaminhamento para o segmento

Em votação e com o respaldo da assessoria jurídica, foi decidido que todos os processos distribuídos a partir do Provimento sejam devolvidos com justificativas em trinta dias a partir da publicação. Já os processos atribuídos antes da publicação devem ter o prazo de 120 dias considerado.

Em caso de dúvidas, o Sindjustiça-RJ está à disposição para dar todas as orientações necessárias pelo telefone (21) 3528-1200.

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

NOTA DE PESAR

Comunicamos, com enorme tristeza, o falecimento da colega Priscilla Braga, ocorrido na manhã desta quinta, por complicações da Covid. Priscila estava lotada no Fórum da

VENDA DA LICENÇA TERMINA HOJE, 21

Termina hoje, 21 de maio, o prazo para venda da licença-prêmio! Por favor, compartilhem a informação e avisem aos colegas da serventia que estejam de

X