Skip to content

Fetranspor movimentou quase R$ 350 milhões em propinas, diz MPF

RIO – Documento do Ministério Público Federal (MPF) sobre a Operação Cadeia Velha, deflagrada na manhã desta terça-feira, diz que a contabilidade paralela da Fetranspor movimentou quase R$ 350 milhões em propinas, entre 2010 e 2016, de acordo com planilha entregue pelo delator Álvaro José Novis, que serviu de base para a investigação. Entre os principais beneficiários do esquema estão alvos da ação da Polícia Federal (PF) de hoje, como o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani, e o deputado Paulo Melo, ex-presidente daquela Casa — ambos do PMDB.

Conforme a planilha, Picciani teria recebido R$ 49,96 milhões da Fetranspor. Já Paulo Melo, R$ 38,625 milhões. O documento mostra ainda o montante movimentado por outros agentes, como José Carlos Lavouras (R$ 40.473.685,00), Lélis Teixeira (R$ 1.570.000,00) e Jacob Barata (R$ 27.754.990,00). Ex-presidente do Detro, Rogério Onofre é ligado a R$ 44,1 milhões. João Augusto Monteiro, R$ 23.419.394,00. E Carlos Miranda, operador do ex-governador Sérgio Cabral, R$ 122.850.000,00.

De acordo com o documento, Paulo Melo tinha o codinome de “Pinguim”. Ele teria recebido R$ 54.305.000,00 via Álvaro José Novis, sendo R$ 38,625 milhões por ordem de José Carlos Lavouras (Fetranspor). O restante, R$ 15.680.000,00, pago pelo próprio Novis, a mando de Carlos Miranda (Sérgio Cabral).

Os delatores Álvaro José Novis e Edimar afirmam ainda que os pagamentos a Paulo Melo, o “Pinguim”, foram realizados principalmente à época em que ele era presidente da Alerj. No entanto, os colaboradores disseram que “houve realização de, pelo menos, mais quatro pagamentos” após esse período. O MPF diz ainda que a maior parte das entregas foi feita pela transportadora de valores Trans-Expert, que usava carros comuns blindados.

Já o atual presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, tinha o codinome “Platina” e, depois, passou a ser identificado como “Satélite”. Ele teria sido o destinatário de R$ 58,58 milhões, entre julho de 2010 e julho de 2015, via Álvaro José Novis, sendo R$ 49,96 milhões a mando da Fetranspor. Os R$ 8.62 milhões restantes teriam sido a mando de Carlos Miranda (Sérgio Cabral).

CODINOMES GREGO E MARIA MOLE

O documento do MPF mostra ainda que o delator Álvaro José Novis, além dos pagamentos a mando da Fetranspor, também teria distribuía valores a Jorge Picciani e Paulo Melo por ordem da Odebrecht. Picciani era o “Grego”. Já o ex-presidente da Alerj Paulo Melo era “Maria mole”.

Executivos da Odebrecht disseram em delação premiada que os pagamentos feitos pelo também delator Álvaro José Novis a mando da empreiteira eram realizados a pretexto de doações não contabilizadas, em razão da importância política dos deputados no partido do ex-governador Sérgio Cabral.

Os registros dos pagamentos aos dois políticos constam no sistema Drousys, que foi concebido pela Odebrecht para a contabilização paralela da propina paga pela empresa a diversos agentes públicos.

Segundo o MPF, no período de 2010 a 2011, Picciani recebeu um total de R$ 7 milhões. Desse valor, R$ 4,5 milhões foram depositados em euros no exterior.

No caso de Picciani, os pagamentos foram feitos por determinação de Fernando Migliacci e Luiz Eduardo Soares, diretores da Odebrecht. No caso de Paulo Melo foi por ordem de Leandro Azevedo na época em que o peemedebista ocupava a presidência da Alerj.

FONTE: https://extra.globo.com/noticias/brasil/fetranspor-movimentou-quase-350-milhoes-em-propinas-diz-mpf-22068239.html

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Veja Também

Outras Notícias

NOTA DE PESAR

Comunicamos, com enorme tristeza, o falecimento da colega Priscilla Braga, ocorrido na manhã desta quinta, por complicações da Covid. Priscila estava lotada no Fórum da

VENDA DA LICENÇA TERMINA HOJE, 21

Termina hoje, 21 de maio, o prazo para venda da licença-prêmio! Por favor, compartilhem a informação e avisem aos colegas da serventia que estejam de

X