Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
destaque home

Nota de repúdio à entrevista de Alexandre Aron, que desqualifica Oficiais de Justiça

O Sindjustiça-RJ vem a público para manifestar seu repúdio a uma entrevista em vídeo veiculada pelo Oficial de Justiça Alexandre Aron – servidor não filiado ao sindicato. O material publicado pelo servidor expõe e desqualifica o segmento em todas as corregedorias do país, com uma visão falaciosa do dia a dia de trabalho da categoria.

Aron afirma ser autor de um suposto projeto que acabaria com o prazo de 30 dias para o cumprimento de diligências por Oficiais de Justiça. A proposta obrigaria os serventuários a ficarem à disposição em plantões permanentes nos fóruns.

A proposição demonstra um profundo desconhecimento sobre o cotidiano dos OJAs. Na realidade do Rio de Janeiro – onde, inclusive, Alexandre Aron atua – esses servidores recebem um grande volume de trabalho com alta complexidade, e que muitas vezes precisam ser cumpridos em endereços que ficam a centenas de quilômetros das comarcas dos Oficiais. Além disso, o cumprimento dos mandados também depende dos despachos dos magistrados.

Por conta de todas essas particularidades, o projeto de acabar com o prazo jurisdicional não tem a menor viabilidade de ser implantado na vida real. O vídeo, no entanto, faz o desserviço de dar a entender que a razão para que os Oficiais de Justiça precisem de 30 dias para cumprir suas atividades seja a falta de compromisso com sua própria função.

Ao longo dos mais de quinze minutos de entrevista, Alexandre afirma que o segmento é composto por corruptos que burlam os procedimentos e recebem propinas para adiar o cumprimento dos mandados. As acusações são feitas de maneira totalmente leviana e irresponsável.

A má-fé nas declarações é tão grande e evidente que desperta um questionamento sobre as reais intenções por trás desse ataque gratuito, justamente num momento em que os serviços públicos vêm sendo duramente atacados por vários setores da sociedade.

O sindicato lamenta profundamente que um integrante da própria categoria tenha o disparate de produzir um material mentiroso que difama um segmento fundamental para o funcionamento da Justiça.

A entidade reforça seu apoio e solidariedade aos Oficiais de Justiça, que enfrentam um longo histórico de desvalorização, riscos, insegurança e adoecimento para cumprir suas atividades da melhor forma possível, com recursos próprios e sem nenhum apoio dos tribunais.

Por fim, o Sindjustiça-RJ informa que já encaminhou o material para sua assessoria jurídica, que está avaliando as medidas judiciais que serão adotadas. Desonestidades e calúnias contra os serventuários serão combatidas com pulso firme, em todas as instâncias possíveis.

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe