Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

SERVIDORES FEDERAIS CAMINHAM PARA 1ª GREVE UNIFICADA EM QUASE DEZ ANOS

O ato foi simbólico. Com os dois braços estendidos, algumas centenas de trabalhadores de variados segmentos dos serviços públicos federais votaram o início da greve nacional unificada da categoria — num período que vai desta segunda-feira (11/6) em alguns setores (técnicos das universidades) a 21 de junho, data apontada pelos trabalhadores do Judiciário Federal para parar por tempo indeterminado.

Mas, para além do simbolismo, os braços erguidos que encerraram a plenária das entidades nacionais do funcionalismo, na terça-feira (5), em Brasília, representaram algo concreto que há quase uma década não ocorre num setor que fez história com grandes greves conjuntas: a reunificação da campanha salarial da categoria. A última greve unificada nos serviços públicos federais foi em 2003, em meio à luta contra a reforma da Previdência do recém-eleito governo Lula.

Há desigualdades no quadro de mobilização dos diversos setores do funcionalismo, com maior movimentação na área da educação. Mas, em todos os segmentos, cresce a determinação de construir a greve e fazer isso de forma conjunta. Os docentes das universidades federais já estão paralisados desde 17 de maio. Técnicos administrativos das universidades entram a partir do dia 11. Funcionários das escolas técnicas param por tempo indeterminado no dia 14.

Os servidores da administração direta e determinadas autarquias, reunidos na Condsef, apontaram o início da greve para 18 de junho. Trabalhadores do ramo da seguridade social constroem as condições para também parar. Os auditores fiscais da Receita Federal fazem ‘operação-padrão’ nos dias 13 e 14 próximos. No Judiciário Federal e MPU, a categoria promove atos e paralisações nestes dois dias e prepara a greve para 21 de junho. (com informações do Luta Fenajufe Notícias)

Compartilhe