Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
destaque home

Sindjustiça-RJ luta para que remoção voluntária venha antes de novas contratações

O Sindjustiça-RJ protocolou na Corregedoria do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) requerimento para que seja publicado edital de remoção voluntária dos servidores. A demanda é aguardada há tempos pela categoria e voltou à pauta do sindicato com a previsão de novo edital para concurso público, anunciado para fevereiro.

A intenção é permitir que os serventuários que já integram o quadro do funcionalismo fluminense possam optar por novos locais e postos de trabalho, disponíveis para remoção. “Com a proximidade deste novo edital de concurso, fizemos o requerimento à Corregedoria do Tribunal. Antes de qualquer chamada de novos concursados, queremos que seja aberto o edital de remoção voluntária para os que já se encontram no quadro”, defende o diretor-geral do Sindjustiça-RJ, Aurélio Lorenz.

A aplicação desse direito evitará remoções compulsórias, auxiliando na reorganização dos locais de trabalho, onde muitos servidores adoecem por sobrecarga de atividades. O edital de transferências, uma reivindicação constante do sindicato, permitirá a escolha de novas comarcas e serventias aos trabalhadores do Judiciário.

A última remoção voluntária no TJ-RJ foi autorizada em março de 2018. Por isso, o sindicato luta para uma atualização nos postos de trabalho antes do lançamento do edital para novos concursados, que deve ser publicado no próximo mês.

Vale-alimentação

Na última sexta-feira (24), o Sindjustiça-RJ protocolou requerimento à presidência do Tribunal para que se abra novo prazo para a escolha do tipo de benefício para refeições.

O pedido foi feito após reclamações de servidores quanto à aceitação da nova operadora do cartão, que passou do Alelo para o Sodexo. “Muitos não se adaptaram à mudança e agora requerem o pagamento em dinheiro. Como o prazo para este pedido acabou em dezembro, solicitamos a reabertura de nova data para as solicitações dos servidores”, explica o diretor-geral do Sindjustiça-RJ, Aurélio Lorenz.

Fonte: Sindjustiça-RJ

Compartilhe