Filiado à FENAJUD, DIEESE e DIAP
Sindicato dos Servidores
do Poder Judiciário do Rio de Janeiro
Notícias Sindicais

TJ DECIDE FUTURO DE JUÍZA QUE DESPACHOU NA RUA

O Órgão Espacial de Tribuna de Justiça (TJ) do Rio de Janeiro se reúne nesta segunda-feira (10) para decidir o futuro da juíza de menores de Madureira, Mônica Labuto. Os desembargadores mais antigos do tribunal vão decidir se a magistrada que despachou na calçada em frente ao Fórum de Madureira, responderá ou não a um processo disciplinar no TJ.

Será definido ainda se ela permanece ou não no cargo durante o processo. Se for afastada, a juíza Mônica Labuto ficará em casa recebendo um salário de R$ 21 mil. O pedido de abertura do processo foi do presidente do TJ, o desembargador José Carlos Murta Ribeiro. Por ter sido o autor do pedido, o desembargador Murta Ribeiro não tem direito a voto na sessão.

Os outros 24 desembargadores do Órgão Especial é que decidirão a situação da juíza. O desembargador Murta Ribeiro entrou com o pedido alegando que a juíza não respeitou a determinação de fechamento do Fórum de Madureira, às 21h, por motivo de segurança. Na ocasião, em nota, o desembargador afirmou que é “uma questão de ordem e de disciplina”.

A juíza, que não falou sobre o assunto, trouxe de casa a cadeira e a mesa usadas para despachar na rua, em frente ao Fórum. Ela, que foi impedida de trabalhar após às 21h, queria atuar em fiscalizações noturnas em casas da Zona Norte.

Fonte: O Extra

Compartilhe